Tuesday, September 26, 2006

Tô tentando!


Não sou tão esforçada como a mãe da Raquel diz que ela é (e ela realmente é), nem tão disciplinada como os japoneses, mas ainda não perdi a esperança de aprender essa língua complicada.

Tô tentando. Foram várias tentativas nesses dois anos e não sei quantos meses no Japão e, hoje, vou tentar outra vez. Para quem duvida que eu tentei, olha a lista de tentativas aí:

1ª - Luziana Lanna (em Belo Horizonte/MG)

Primeiro semestre de 2003, um ano antes de vir para o Japão. Nessa escola - caríssima, por sinal - aprendi a falar "Meu nome é Karina", "Sou brasileira", contar até 10, entre outras coisinhas, e a escrever as primeiras letrinhas em japonês (hiragana).


2ª - Associação Internacional de Kawasaki

Fui com a Raquel nessa Associação, perto de onde a gente morava. Isso foi no início de 2004. Parecia muito interessante, porque as escolas de japonês são caríssimas e lá as aulas são gratuitas. Desistimos na segunda aula. O meu professor (voluntário) era tão velhinho, tão velhinho que nem em português eu entenderia o que ele fala.


3ª - Language Exchange

O Osny me apresentou à Mai, uma japonesa que sabe um pouco de português e queria fazer amizade com brasileiros. Em troca, ela poderia ensinar japonês. A gente não estudou nada! Mas nos tornamos grandes amigas : )


4ª - Auto-didata

Resolvi, então, estudar sozinha. Comprei um monte de livros. Não passei da terceira página de nenhum...


5ª - Amigos japoneses

Fiz muitas amizades. Mas, coincidência ou não, meus amigos japoneses falam português, inglês ou espanhol. Os que falam só japonês não são tão amigos assim.


6ª - Escola de Línguas de Shinjuku

Essa escola aí é super famosa em Tokyo. A Sílvia, por exemplo, que sabe japonês que nem os japoneses, aprendeu lá! A diferença é que eu só podia fazer aula uma vez por semana e quem aprende pra valer estuda pra valer: todos os dias! Saí de lá, não porque desisti, mas porque me mudei pra Nagoya.


7ª - Kumon

O método Kumon força a gente a estudar sozinho e apesar de parecer uma lavagem cerebral, acho que funciona. Especialmente, para quem quer aprender a ler e escrever. Não continuei porque tinha que economizar. Estava pagando a escola de Shinjuku e o Kumon ao mesmo tempo.


8ª - Namorado japonês

O namoro só durou três meses : (


9ª - Aula particular

Em Nagoya, minha primeira providência foi arranjar uma professora de japonês. Duas aulas por semana. Eu estava adorando e acho que aprendi bastante mas, dois meses depois, voltei para Tokyo.


HOJE

Associção Internacional de Shinagawa. Dica da Gisele. Será minha 10ª tentativa. Apesar de ser uma associação para estrangeiros - que geralmente oferecem cursos horríveis - parece ser legal. Acho que os professores são professores de verdade e nem tão velhinhos quanto àquele voluntário lá de Kawasaki. São duas aulas - de duas horas cada - por semana. Será que agora vai? Ou racha de vez?

14 comments:

Gisele Scantlebury said...

Karina, espero que não rache porque, como você, também não sou muito dedicada. Preciso sempre de um amigo-"muleta" para ir às aulas comigo, seja de línguas, seja academia ou qualquer outra coisa. Sou mesmo Maria vai com as outras. Como você, também tentei estudar sozinha e não passei da segunda página dos livros. Como diria o slogan daquele candidato: "juntas chegaremos lá!". Beijos!

Raquel said...

Deixa eu explicar essa história de eu ser "esforçada". A minha mãe, querendo me elogiar, sempre falou para as outras pessoas que eu não era muito inteligente, mas muito "esforçada!" Sempre morri de raiva, mas a intenção dela era boa, coitada.

Como eu não sou inteligente, também não aprendi japonês nesses três anos de Japão. Mas como eu sou "esforçada" continuo tentando.

Kaká said...

Oi Karina, continue assim. Sei que vc vai se sair muito bem. Vc até sabe uns kanjis, não é? Eu e meu marido estamos estudando no Kumon até chegar a hora de partir pro nihon. Espero saber alguma coisa até lá. Agora acabei de entrar no katakana e tô meio perdida. O hiragana eu já sabia de cor pq estudei quando era kodomo. Mas é isso aí.
Gambate!!!

Kuni said...

Raquel, adoro ouvir essa historia sua, eh muito engracada... A minha esposa eh outra que morria de raiva desse tipo de elogio da mae da que dizia ela era "esforcada", "dedicada", "persistente" etc. Anote ai no seu caderninho magico de palavras e frases uteis como se diz "esforcado" em japones: pode ser "doryokuka" ou "ganbariya".

Karina Tiemi said...

Oiii!
Não pude deixar de registrar alguns pontos em comum entre a gente.
Encontrei o seu blog no google, enquanto procurava por endereços de locadoras de filmes japoneses aqui no Brasil.
Meu nome tb é Karina, estou fazendo jornalismo e tb sonho em escrever livros algum dia! rsrsrs Tb tenho um blog onde registros alguns contos e textos sem sentidos tb rsrs!
E, principalmente, AMO O JAPÃO. Nunca estive aí, mas meu irmão foi trabalhar como dekassegui, ficou aí por 3 anos e agora eu estou planejando ir em breve, se conseguir grana para isso! rsrs
Amo Japão, amo a comida, amo as músicas (adoro SMAP rs), mas sei que devem exitir milhares de dificuldades, afinal, a cultura japonesa e a brasileira são muito diferente!
Comecei a fazer japonês na Aliança Cultural mês passado!! Estou adorando, apesar da dificuldade em identificar certos katakanas e ter esquecidos alguns hiraganas quando comecei a aprender katakana...Ixi, ñ quero nem ver quando entrarem os Kanjis rsrsrs!
É bem complicadinho, mas eh isso aí, vc tem q se esforçar mesmo, no fim vale a pena!


Bom, acho que já escrevi muito para uma total desconhecida sua neh rsrs Mas realmente não pude deixar passar isso! Simplesmente estava navegando na net e encontro por acaso o seu blog!!

Bem, eh isso!

Bjos

Anonymous said...

Falan que a terceira e a vencida mais para vc sera a decima, ha, ha, ha, dexando as brincaderas がんばります!

Yayoi said...

Estou torcendo por você, Karina! Tenho certeza de que você conseguirá dominar o idioma japonês e ele vai ficar muito, mas muito melhor logo logo!

Paulo said...

Não desista! Eu também tive minha parcela de tentativas pra aprender japones.
Sinceramente, estudar em casa ou em cursos não funcionou. Eu só aprendi mesmo quando me cerquei de amigos japoneses, que me incentivaram evitando falar comigo em inglês, até que apareceu a namorada. Aí, já sabe, né? Se torna uma questão de sobrevivencia...hehehe.
O Japão de hoje não contribui para o aprendizado, está bastante cômodo. E criar um ambiente propício para o aprendizado nem sempre é fácil. O ばらばら pode ser uma ferramenta valiosa.

Torço por você!

Beijos

Kaká said...

Oi Karina!!! A Yayoi não tem um blog para eu poder mandar um comment pra ela?
Bjos

Karina Almeida said...

PARA GISELE
combinado: juntas chegaremos la! resta saber onde. hihihihi...

PARA RAQUEL
deixa de ser modesta. voce eh esforcada, disciplinada e inteligente!

PARA KAKA
isso mesmo. tem que comecar a estudar antes de vir. e depois continuar aqui. ganbarimashoo!

PARA KUNI
voce escreveu pra raquel e esqueceu de mim. fiquei com ciumes :(

PARA KARINA
quanta coincidencia! voce me fez lembrar de um "anime" super famoso aqui. nao sei se tem aih. NANA. conhece? duas meninas que se conhecem por acaso e descobrem que tem muitas coisas em comum. inclusive o nome. eh super legal! ah, depois passo la no seu blog com calma ok?

PARA DANI, YAYOI e PAULO
arigatoo! ganbarimasu!

PARA KAKA 2
nao tenho o email da yayoi :(
mas pode ser que ela veja seu comentario aqui e escreva pra vc ne?

bjinhos e obrigada PARA TODOS

Angelica said...

Tu puedes Karina! Yo creo que ahora puedes leer un libro más grande que el primero que compraste. Besos

Ale said...

Oies!! Hajimemashite...
Eu achei o seu blog "por acaso" (eu tbm tenho um, aqui..)Gostei muito do seu jeito de escrever, acho que virei FAN (^-^) Nihon-go no benkyo, gambatte kudasai!!
Um abracaum...

Shigeka said...

Voce esqueceu de falar dos livros infantis que comprou, e tbem dos filmes em japones q estah alugando pra treinar!! hahahaha... Acho vc esforcada sim, Karina!! Nao suuuper-esforcada como a Raquel (q alem de esforcada eh mto inteligente tbem!! Acho q a mae dela eh modesta, isso sim!!). Mas pra quem ainda nao desistiu na decima tentativa...
Acho q agora vai!! Vc vai ver!! E carrega a Gisele junto!!

Naomi Sogawa said...

Oi, Karina, aprender outra lingua e' dificil sim, a gente tem que se dedicar, o que nao e' facil como muita gente pensa. Cansei de ouvir "Ah, mas morando ai' tudo e' mais facil ne?"... E' e nao e'... E' porque voce se forca para entender o que esta' a sua volta. Nao, porque ninguem aprende nenhum idioma de um dia pro outro... No meu primeiro ano aqui eu ia para a escola todos os dias, de 8h as 12h. Vivia quebrada (de grana) pq nao tinha como trabalhar tempo integral por causa da escola... No inicio achei bem complicado (e olha que ingles todo mundo tem uma nocao mesmo que ruinzinha) ainda mais pq morava com outros brasileiros entao chegava em casa da escola e so' ouvia portugues, assistia Globo Internacional e no fim das contas meu aprendizado ia pro beleleu... Comecei a melhorar quando comecei a namorar com o John, que nao falava (nem fala) nada de portugues, nem conhecia nenhum outro brasileiro. Foi quando comecei a perceber que finalmente estava pegando o tal do ingles. Isso ja' tinha uns 6 meses que eu estava aqui, e mesmo assim nao saia de casa sem meu bendito dicionario... Parei de ver tv em portugues e tentava assistir tudo em ingles, com legendas, e' claro. Assistia filmes que eu ja' tinha visto antes, assim eu nao precisava entender a historia (que eu ja' sabia) somente os dialogos. Assistia tbem aqueles programas infantis, que sao bem faceis de entender... Fui assim devagarinho tbem. Estou aqui ha quase 4 anos e ainda sinto que falta muito a ser aprendido, mas o que a gente nao pode fazer e' desistir. Vai fundo, tenho certeza que vc vai aprender. Beijos.