Thursday, March 09, 2006

Eu também sou chique



Hoje, eu e a Mai comemos ramen (uma espécie de "miojo" chinês incrementado com molho, tempêro, carne, ovo, entre outras coisas) num dos restaurantes - especilizados em ramen - mais chiques de Tokyo: o Mist Chabuya Japan. Ou será o mais chique?

E a gente estava no shopping mais chique do bairro mais chique de Tokyo: o Omotesando Hills, inaugurado no mês passado, em Omotesando - conhecido como o "metro quadrado mais caro do mundo".
Lá - dentro e fora do Omotesando Hills - estão dezenas de lojas de grifes internacionais como Dolce & Gabbana, Yves Saint Laurent e outras ainda mais chiques do que essas aí. E o mais legal é que, em Tokyo, não precisa ser chique para frequentar esses lugares chiques.

Aqui, todo mundo pode tudo. Ou quase tudo. Não compraria um chocolate (pequeno!) por 4 mil ienes - ou 71 reais - mas teria dinheiro para comprá-lo, se eu quisesse. Já no Brasil, é muito diferente. Pobre frequenta lugar de pobre. Rico frequenta lugar de rico.

No Omotesando Hills, ninguém deve ter desconfiado que eu sou pobre. Nem eu pude identificar quem estava lá para comprar ou apenas para olhar, como eu e a Mai. E a gente até comeu no tal restaurante chique que eu contei.

No Brasil, a gente nem se sentiria à vontade para entrar. E se entrasse, a gente não teria dinheiro para pagar. Vida de pobre no primeiro mundo é muito melhor. Aqui, eu também sou chique!

9 comments:

Yayoi said...

Omotesando hills! Ainda nao visitei, mas acho que vou um dia num futuro bem proximo que adoro aquela cidade bem chique, mas claro, so pra olhar! Quanto ao primeiro livro que li, foi o do Antonio Carlos Jovim que foi escrito pelo Lui Castro, mas para falar a verdade, ainda nao entendo completamente. Um dia queria le-lo direitinho!!!

mili said...

Nada contra, mas, meses atras havia marcado para almorcar no Barbacoa com uns amigos que nao via ha anos. Como lembrei que em Omotesando havia uns casaroes antigos, fui mais cedo, peguei meu bloco, lapis, muitos grafites soh para desenha-los, qual a minha decepcao, no local construiram este complexo comercial chamado Omotesando Hills. Tal a minha frustracao, fiquei perambulando pela regiao ateh dar a hora que havia combinado com os amigos,...

Karina Almeida said...

PARA YAYOI e MILI
(leiotres e comentaristas assíduos do meu japão!)

yayoi, pensei que você tivesse começado com um livro infantil. que chique, hein?!

e por falar em chique, o omotesando hills é muito lindo. vale a pena ir lá pra conferir.

e como eu disse, a gente não precisa ter vergonha de ser pobre. aqui no japão pobre também é chique! viu, mili, da próxima vez, entra lá!

mili said...

eu pobre?!
to mais para "perrapado"

meu livro em japones tambem nao era infantil, ja era juvenil, tambem nao chega a ser tao cult como o da Yayoi

Marianne said...

Gente! Omotesando Hills... nao existia na minha época. é tipo um Roppongi Hills? Karina, coloque mais fotos! saudades.

Raquel said...

Karina, so pra dizer que não tô comentando, mas tô lendo...

Anonymous said...

Neste final de semana irei (finalmente!) ao Roppongi Hills, mais precisamente no Museu Mori. Vou ver a exposição "Berlin-Tokyo" com minha amiga Yuko.
O ingresso deve ser caro, mas como foi o Hiroshi que me deu os ingressos...

Karina Almeida said...

PARA MARIANNE

também pensei que fosse parecido com o roppongi hills, mas não é. não tem cinema, museu, essas coisas. só lojas e restaurantes (chiqueréeeeeeesimos, claro).

é um shopping bem grande, mas na horizontal. o prédio tem seis andares pra cima e mais quatro pra baixo (isso eu achei legal!) e acho que ocupa o quarteirão inteiro.

enfim, acho que para passear não trem muita graça. é legal ir só pra conhecer. quem vai frequentar deve ser as esposas de diplomatas porque lá é um local pra fazer compras e você viu aí quais são as lojas né. não é pro nosso bico...

ah, não tenho mais fotos. desculpa!! será que não tem site? se descobrir, te conto ta?

beijos

Karina Almeida said...

PARA RAQUEL e ANÔNIMO (MAFALDA)

obrigada raquel! volte sempre!

anônimo, você esqueceu de assinar mas deixou uma pista: "como foi o hiroshi que me deu os ingressos..."

então, mafalda, vai ser a sua primeira vez no roppongi hills? eu adoro! nem que seja só para ir ao cinema ou passar em frente. é um lugar que quem vai a tokyo não pode deixar de conhecer. espero que você goste!