Tuesday, March 14, 2006

Vou me mudar para a Coréia


Prometi para mim mesma que o Meu Japão não seria uma diário: “Hoje cortei o cabelo”. “Amanhã vou ao parque” e por aí vai. Mas, como toda regra tem exceção, vou contar como foi o meu dia de hoje.

Acordei às 5 horas da manhã para terminar de arrumar a minha mala e chegar às 7 horas ao aeroporto. Sabia que ia viajar com um excursão/homestay da escola de japonês onde eu estudo, mas não tinha a menor idéia do que, ou melhor, de quem iria encontrar.

O primeiro choque foi descobrir que eu era a única ocidental de uma turma de 45 pessoas (contando comigo). O segundo – e maior – foi descobrir que eu era a única que não fala japonês fluentemente.

Para vocês terem idéia do nível de japonês dos meus colegas, todo o material distribuído está escrito em japonês (sem nenhuma “colher de chá”), incluindo as plaquinhas no aeroporto. Imagino que estava escrito: “excursão da Escola de Língua Japonesa de Shinjuku, aqui”.

E as coordenadoras do grupo falam como se estivessem falando com japoneses. Meu Deus! Acho que depois de dois anos e pouco no Japão, só hoje me senti no Japão de verdade. Sem nenhum amigo-dicionário-intérprete-ambulante pra me socorrer. Nem em inglês.

Apesar de um pouco assustada com tanto chinês e coreano – e um mongol e uma japonesa – falando japonês o tempo todo e, de vez em quando, deixando escapulir uma palavrinha ou outra na língua deles, resolvi me enturmar e tentar gastar o meu japonês e colocar o meu ouvido e o meu cérebro para trabalharem bastante e entenderem pelo menos o que estava acontecendo.

E aí tive outra surpresa. Nem precisei me esforçar muito pra me sentir parte da turma. Gente, aquele ditado de que “os coreanos são os latinos da Ásia” é verdade! Impressionante como eles são amigáveis, extrovertidos, simpáticos e tudo mais. Os chineses são mais tímidos, como os japoneses. Mas perto dos coreanos, até eles se enturmaram. E eu também, claro.

Almoçamos num restaurante típico de Okinawa, visitamos dois museus, fizemos o check in no hotel (a vida de bóia-fria só começa na quarta-feira) e saímos para comer. Já era noite. Foi super divertido! E fiquei encantada com a preocupação deles em me deixar à vontade. Sempre me perguntavam se estava tudo bem, se eu gostava da comida, o que eu queria beber, se eu estava entendendo. Umas gracinhas! E percebi que não era só comigo não. Ninguém se conhecia e, já no primeiro dia, pareciam todos amigos.

Ah, esqueci de contar! Quando chegamos ao hotel, a coordenadora disse que tínhamos que ir para o auditório para a “orientation”. Na hora, pensei: “pra mim, vai ser DESorientation”, mas fui assim mesmo. E o pior é que ela pediu para cada um levantar, pegar o microfone e se apresentar. Fiquei até com dor de barriga, mas respirei fundo e falei “pessoal, desculpa, eu sei só um pouquinho de japonês...” e aí já fui interrompida – pelos coreanos, claro: “daijoubu, daijoubu”. Traduzindo: “tudo bem, tudo bem”. Muito fofos, né?

Depois de um dia inteiro com os coreanos – com os chineses, eu conversei pouco – tive uma idéia brilhante, como diria o Ewerthon. Em vez de batalhar pra realizar o meu sonho de arranjar um namorado japonês, vou investir nos coreanos. Além de serem tão lindos – ou até mais – que os japoneses, eles também falam japonês muito bem e ainda são mais afetivos e cavalheiros! Sim, eles são do tipo de abrir a porta do carro para as mulheres, ao contrário dos japoneses, que nem carregam as sacolas de compras. Ai, chega de elogiar os coreanos. Daqui a pouco, vou querer me mudar para a Coréia...

FOTO: três amiguinhos coreanos. Não me pergunte o nome porque ainda não consegui decorar (a princípio a gente acha que é tudo igual).

14 comments:

Shigeka said...

Ue... hoje nao era Japao de outra pessoa?! hahahaha... brincadeirinha!! Ia de ligar, mas achei melhor escrever aqui pra nao tirar nenhum minutinho seu com os coreanos!! ; P
Gente, q maximo!! Nao virando fa do Yon sama, eu te dou o maior apoio!!

Anonymous said...

Do jeito que está, o furacao Katrina fica em Okinawa com um coreano, he, he, he.

Nao se esqueca de passar (e entrar, diga-se-de-passagem) nas praias.

Ah! Tem também os copos tipicos de Okinawa. E, nao se esqueca de passar em uma feira de Okinawa.

E, se fores comprar presentinhos (OBA!), dee uma passada no Kokusai Doori.

Divirta-se! ;D

Thassia said...

Oi, Karina!
Vi q logo, logo arranja um namorado coreano... hehehe
Curta bastante a viagem!!!
bjos

Raquel said...

Já vi que a temporada de taifu começou mais cedo em Okinawa neste ano e logo com um Katrina! E também já vi que vai olhar pro Yon-Sama com outros olhos...

Nina said...

Oi, Karina!Como vai?
Meu nome e Nina e moro no Japao ha 11 anos.
Estou na regiao de Aichi-ken.
Muito prazer!
Achei muito interessante o seu " Meu Japao e assim..." que resolvi lhe deixar um recado.

Se voce quiser conhecer o meu blog o endereco e:

http://farfallavola11.blogspot.com/

ficaria muito feliz com a sua visita!
Ah!Eu poderia coloca-la na minha lista de amigos?

Aguardarei a sua visita!
Um abraco e ate mais!
Com carinho, Nina.

shin shin said...

Jah que o Blog estah meio morto, ai vai mais alguns lugares para NAO visitar:
1. FruitLand: nao vah lah (soh se tiveres saudades de ver pe de manga, carambola, jabuticaba, jaca etc etc...)
2. Barraquinhas de frutas: todos os abacaxis que comprei estavam verdes e azedo...

E um lugar que esqueci de recomendar:
No final da Kukosai Doori, tem uma estacao (que diga-se-de-passagem, nao lembro mais o nome), mas lah voce vai achar 2 orelhoes azuis (isso mesmo, orelhoes, com til no "o").

Anonymous said...

かわいいですね。へーえ、このばしょは おもしろそうですね。でも、文字(もじ)を よめませんよ。ざんねんですね。このばしょは どこですか。

では、からだにきをつけてください。
深津(フカツ)より :D

shigeka said...

KARINA!!! Cade vc!? Sobreviveu a fazendo da seu Miyagi?! Ve se manda noticias!!
Aiii... lembro q qdo fui praih me esbaldei de tomar sorvete!! Em sorveteria mesmo!! Nao em combini... Tem tantos tipos diferentes e um mais gostoso q o outro!! Toma um montao por mim, ok?
Beijinhos

Bia said...

Dou total apoio quanto ao namorado coreano. Eles tem um corpao comparado aos japas.

Milagres que o servico militar obrigatorio faz por voce.

;)

Raquel said...

Karina, voce ta viva?

Anonymous said...

Bom, uma pessoa entra, lê e deve dizer pelo menos: Olá, de Portugal.
Gostei da prosa. É agradável a leitura (defeito de profissão,né?)
Penso que foliã está certo, é como em cidadão/cidadã.
Vou fazendo uma visitinha sempre que possa. Afinal também gosto de conhecer o Japão apesar de nunca ter aí estado.
Antonio Fidalgo
ifa@dentpal.com

shigeka said...

Algumas possibilidades...
1)Foi mantida refen da fazenda do seu Miyagi, q gostou tanto dela e nao deixou ela partir;
2)Arranjou um coreano e tah no soh love, soh love, e nem lembra mais q tem amigos...
3)Teve uma recaida e resolveu dar uma esticada na viagem por causa de um okinawense (q tbem eh japones, heim??)
4)Aconteceu alguma "TRAGEDIA" (q muitas vezes, nao eh bem assim uma tragedia...) no final da viagem!!
Karina, o q aconteceu?!

Karina Almeida said...

PARA TODOS

não aconteceu nenhuma tragédia. estou viva, sã, salva e feliz!

e não se preocupem. virei fã dos coreanos, mas continuo achando o yon-sama (o galã coreano) feio e "sem sal".

namorado coreano: pior que não arranjei não...pelo menos por enquanto :D

okinawa: na verdade, não escolhi os lugares que visitei. me levaram. mas adorei todos! e quero voltar!!!

nina: obrigada pela visita! vou passar lá no seu blog.

beijos, pessoal!

Cristina Sousa said...

Eu não conheço japoneses nem coreanos. Só conheço chineses e fiquei assustada. São tão antipáticos e fechados. A única vez que falam é quando entro numa loja deles e abrem a boca para dizer o preço de alguma coisa e obrigado.
A última vez que um chinês me fez uma pergunta fiquei tão espantada que nem consegui responder.