Tuesday, January 17, 2006

E eles seguem beijando...





Está lá na apresentação do Meu Japão: “me surpreendo a cada dia com esse país e esse povo...”, mas por essa eu não esperava. Voltando para a casa, hoje à noite, eu e a Angélica, ao sairmos da estação de trem levamos um susto. Um casal de japoneses aos beijos, ali mesmo para qualquer um ver. Beijo na boca e daqueles bem demorados!

Se no Brasil já não é muito confortável ver uma cena dessas na rua, imaginem aqui. Num país, onde beijo só existe entre quatro paredes e aperto de mão é uma concessão aos estrangeiros. Abraço, então, nem pensar. Quando tem, a gente logo vê que não é o que os japoneses mais gostam de fazer. Pelo menos, quando o outro ou a outra não é o namorado ou a namorada (imagino).

O choque foi tão grande, que a gente nem se lembra mais do que estávamos conversando. Passamos direto, mas não resistimos e olhamos para trás. “É isso mesmo?”. Era. E o beijo nunca acabava. “Karina, eles seguem beijando”, disse a Angélica assustada.
“Vamos tirar um foto”, sugeri. “Sim, vamos!”, respondeu. O difícil foi tomar coragem, mas tomamos!

Voltamos lá. “Com o seu celular ou com o meu?” “Como fazer para que eles não nos vejam?” “E se aparecer a polícia? – eu tenho pavor de ser presa no Japão!” “E se eles perceberem e ficarem bravos?” “A gente corre?” Discutimos tudo isso e eles seguiam beijando, como diria a Angélica, em seu “gracioso” espanhol (ela é peruana). Disfarçamos e tiramos duas fotos. Uma com o meu celular e outra com o dela. Não ficaram boas, claro, mas registramos este fato histórico.

Voltamos para casa e o casal seguia beijando. Quanto fôlego! E começamos a tentar entender esse acontecimento. Eles não pareciam bêbados. Se estivessem, essa seria a explicação. Os dois eram japoneses. Se pelo menos um fosse estrangeiro, a gente até entenderia. Daí veio a nossa preocupação: “Karina, e se for um experimento?”. “Será, Angélica?”.

Começamos a imaginar que havia uma câmera escondida. Seria um desses programas de entretenimento da tevê japonesa? Ou um “experimento”, sem câmera mesmo, como sugeriu a Angélica? Uma pesquisa científica sobre o comportamento humano? Pensamos em tudo, mas não encontramos uma explicação. Mesmo assim valeu a experiência. Duvido que algum de vocês já viu uma cena dessas por aqui.

E o casal? Pelo visto, segue beijando...

10 comments:

Shin Muranaga said...

Primeirão!

Se no ORKUT o Ewerthon foi sua primeira "testemunha" deixe eu ser o seu primeiro comentário :D.

Dalton said...

Que beijo demorado!!!

Para o alto e avante! said...

beijo em público aqui em Hamamatsu é mais comum... em Tokyo também. Apesar de que um dia dei um beijo no rosto de uma amiga, em plena Shibuya, e uma colega japonesa quase morreu de vergonha... vai entender...

Thassia said...

Depois da propaganda, não resisti e resolvi dar uma espiadinha!
Vc conseguiu um feito raríssimo! Eu msm nunca presenciei. Fora q eles deveriam estar em entretidos no bjo... Nem repararam que vcs tiraram fotos. hehehe

Karina Almeida said...

PARA SHIN

arigatou! só espero que este não seja também o último né?!

volte sempre!

Karina Almeida said...

PARA DALTON

impressionante né?! devia tá muito bom mesmo. ai que inveja!

beijos (no rosto!)

Karina Almeida said...

PARA PARA O ALTO E AVANTE

beijo na boca demorado no meio da rua? comum? no japão? só se for de estrangeiro, mais especificamente, de brasileiro né?

Karina Almeida said...

PARA THASSIA

oi. bem-vinda! não é um acontecimento histórico? você deve ter imaginado a minha cara e a da angélica né?

adorei a sua visita!

bjinhos.

shigeka said...

Sem querer ser chata, mas eu jah beijei um japones na rua!! Entao se no caso fosse eu na foto, vcs pensariam q era um casal de japoneses!! hahahaha... Brincadeirinha, os dois parecem mesmo muito a vontade, neh?? O meu japones beijava com um olho fechado e o outro aberto, acho q nem curtia tamanho o constrangimento... Voto na opcao estavam bebados!!

Karina Almeida said...

PARA SHIGEKO

não tinha pensado nisso! podia ser um casal de "japoneses do paraguai" né? mas pelo jeito de abraçar e de beijar, eu acho que não...

ps: meus amigos de olhinhos puxados, que eu adoro, não fiquem bravos. "japonês do paraguai" é só uma forma resumida e carinhosa de chamar os descendentes de japoneses nascidos em outros países, viu?!

vocês sãos lindos!

beijos.